Quão rico você é?

1Tm 6:11 Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão. 12 Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas. 13 Mando-te diante de Deus, que todas as coisas vivifica, e de Cristo Jesus, que diante de Póncio Pilatos deu o testemunho de boa confissão, 14 Que guardes este mandamento sem mácula e repreensão, até à aparição de nosso Senhor Jesus Cristo;
15 A qual a seu tempo mostrará o bem-aventurado, e único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores; 16 Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém.
17 Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos; 18 Que façam bem, enriqueçam em boas obras, repartam de boa mente, e sejam comunicáveis; 19 Que entesourem para si mesmos um bom fundamento para o futuro, para que possam alcançar a vida eterna.

A vida tem muitos casos de pessoas que apesar de serem muito ricas, nunca desfrutaram de sua riqueza, chegando em alguns casos a viverem de maneira muito pobre só para não gastar seu dinheiro. Tem sua segurança no dinheiro acumulado e não em Deus. Não falo contra a riqueza, mas contra a altivez de quem a possui.

Conta-se o caso de um rico americano que convenceu suas irmãs a não se casarem para não dividir a herança recebida, chegando uma delas a fazer seu próprio vestido o qual utilizou por 25 anos. Aliás, moraram na mesma casa por 50 anos. Ao final da vida possuiam em torno de US$ 100 milhões, mas não utilizaram em nada. Tinham uma compulsão de acumular para eles mesmos, mas viviam de maneira paupérrima.

Muitos de nós talvez nunca sejamos tão ricos como este americano, mas se formos fiéis às finanças que Deus nos confiou, se não formos egoistas em relação à Sua causa e se auxiliarmos as pessoas em necessidade, nós seremos “ricos em boas obras” e teremos um tesouro nos céus.

É muito melhor sermos uma pessoa pobre que é verdadeiramente rica do que um rico que é espiritualmente pobre!

Share this article

Deixe Seu Comentário